Respostas

2014-05-17T17:34:10-03:00
A comunicação entre as células do corpo humano se dá por meio de neurotransmissores e de hormônios. Desses últimos, os mais importantes na regência do mapa metabólico nos diferentes tecidos são a insulina e o glucagon. Ambos são hormônios peptídicos, o que significa que são formados por aminoácidos.Em poucas palavras, a insulina é o hormônio da saciedade, enquanto que o glucagon é o hormônio da fome. Isto significa que a insulina age sempre de maneira contrária a do glucagon. Quando se pega o mapa metabólico, verifica-se que algumas rotas servem pra produzir açúcares, proteínas e gorduras, enquanto que outras servem justamente para o oposto, ou seja, quebrar açúcares, proteínas e gorduras. Sendo assim, quando o organismo precisa de energia, ele aciona as rotas metabólicas que quebram fontes de energia para produzir ATP, ao passo que, quando o organismo não precisa de mais energia, encontrando-se bem alimentado, ele usa os nutrientes da dieta para construir as novas fontes de energia que poderão ser utilizadas quando o ATP estiver faltando.E é aí que entram os papéis da insulina e do glucagon. A insulina vai agir sempre que o organismo estiver saciado, aumentando a absorção de açúcares, aminoácidos e ácidos graxos, no intestino, para a produção respectiva de glicogênio, proteínas e triacilglicerol, fontes primárias de energia no organismo.Quando o organismo estiver com fome, precisando manter os níveis de glicose sanguínea estáveis para as células, sem contudo injerir nenhum alimento (como antes do café da manhã, do almoço e do jantar), ele aumenta a produção do glucagon, que vai agir no sentido de se produzir glicose para manter o nível sanguíneo desta para uso celular. Neste sentido, o glucagon vai estimular a quebra do glicogênio para liberar glicose, a transformação de aminoácidos e outros produtos em glicose, e a quebra dos triglicérides, que vão liberar o glicerol de suas estruturas para que este também se transforme em glicose.