Respostas

2014-05-18T11:11:18-03:00
O solo é um corpo natural, possuindo comprimento, largura e profundidade, e constitui a camada externa da litosfera, em contato com a atmosfera. Como o solo é formado a partir de um material que lhe dá origem, através ação de fatores climáticos e biológicos, o solo pode ser estudado como um corpo formado por fatores de formação e por processos de formação, os quais vão definir o solo resultante como um indivíduo com características e propriedades que o diferenciam dos demais solos, e que definem seu potencial de utilização agrícola.Assim, o solo pode ser definido como um corpo natural, resultado dos fatores e processos de formação, constituído de camadas paralelas à superfície, capaz de suportar e nutrir plantas.Esses fatores e processos de formação, conferem ao solo características e propriedades químicas e físicas próprias, de extrema importância no fornecimento de água e minerais para o desenvolvimento das plantas.1.1. Histórico da Ciência do SoloO conceito mais popular de solo vem a ser a capa mais superficial do globo terrestre.Para uns, solo é tido como a superfície inconsolidada que recobre as rochas e mantém a vida animal e vegetal na terra. Dependendo do seu uso, pode ser visto sob diversos aspectos como: Para o geólogo, engenheiro de minas, engenheiro civil, o solo constitui verdadeiro estorvo, visto o seu interesse pelo subsolo onde são encontrados as riquezas minerais. Para a engenharia civil é visto também sob o aspecto de resistência e estabilidade das construções, aspecto que deu origem a mecânica de solos.Para o Engenheiro Agrônomo o solo como a camada superficial da litosfera constituindo o meio natural para o crescimento das plantas.O cultivo de plantas começou quando o homem foi se transformando de nômade emO solo tem sido estudado e interpretado de diferentes maneiras a medida que os conhecimentos do homem evoluem. sedentário tendo isso ocorrido nos primórdios da humanidade. Foram descobertos escritos de 2500 A.C. onde se menciona a fertilidade da terra.Formação do SoloTambém Heródoto 2000 A.C. e Teofrasto 3000 A.C. deixaram registros sobre fertilidade do solo. Entre os romanos vários deixaram escritos sobre o tema sendo condensado por Petrus Crescentuis, em 1240, em um livro intitulado "De Agriculture Vulgare". Durante a idade média, um dos períodos mais obscuros da ciência, pouco ou nenhum conhecimento foi acrescentado sobre esse assunto.No século XVIII apareceu a teoria fisiológica de Mitscherlich dizendo que o solo era um mero reservatório passivo de nutriente as plantas, considerando o solo como um objeto estático, só como sustentáculo das raízes.No início do século XIX esse conceito foi rejeitado com o aparecimento da teoriaCom Carl Sprengel de 1830-1840 apareceram os conceitos de que o solo é funçãoHúmica de A. Von Thaer que dizia serem apenas as substâncias orgânicas responsáveis pela fertilidade do solo. Com o surgimento da teoria mineral de Justus Von Liebig, em 1840, a anterior foi abandonada embora hoje se saiba que ela é em parte verdadeira. Liebig determinou que eram as substâncias minerais do solo, os alimentos das plantas que entravam no metabolismo vegetal. Logo em seguida Humphreey Davy apoiou a teoria de Liebig reconhecendo a importância da rocha matriz para a fertilidade do solo. Só não soube explicar porque a mesma rocha determinava mais de um tipo de solo. da influência do clima e dos seres vivos.Mais tarde, Nikolai M. Sibirtizev, discípulo de Dokuchaev, modificou aVasilí V. Dokuchaev, em 1887, após observações de solos na Rússia nas diversas latitudes estabeleceu relação entre o clima e a gênese e evolução do solo. Sua única falha foi dar valor excessivo ao fator clima em detrimentos dos demais fatores. Estabeleceu a primeira classificação de solo denominada de classificação climática. classificação climática propondo a classificação dos solos em três zonas climáticas: solos zonais, intrazonais e azonais.Glinka, em 1927, estabeleceu o estudo do solo a partir do conhecimento do perfil. Em 1917, Wiegner definiu o solo como um sistema disperso obedecendo as leis químicas de dispersão passando o solo assim a ser um corpo ativo e não mais estático.Marbut estabeleceu em três metros a profundidade do perfil de um solo, o que determinou contestação por ser a profundidade variável em diferentes solos.G. Milne, em 1935, efetuando pesquisas nas colônias inglesas mostrou existir agentes erosivos que atacaram a rocha produzindo depósitos de materiais estabelecendo também a importância do relevo na formação do solo.Formação do SoloEm 1945, Jenny sintetizou em um livro todos os conhecimentos que se tinha do solo até aquela data tornando-se um livro obrigatório de consulta para quem pretende estudar o solo.Edafologia é o estudo do solo do ponte de vista de sua utilização pelas plantas. Resumindo, estuda a relação solo-planta. Pedologia é a ciência que estuda o solo.
2014-05-18T11:20:54-03:00
O solo é um corpo natural, possuindo comprimento, largura e profundidade, e constitui a camada externa da litosfera, em contato com a atmosfera. Como o solo é formado a partir de um material que lhe dá origem, através ação de fatores climáticos e biológicos, o solo pode ser estudado como um corpo formado por fatores de formação e por processos de formação, os quais vão definir o solo resultante como um indivíduo com características e propriedades que o diferenciam dos demais solos, e que definem seu potencial de utilização agrícola.Assim, o solo pode ser definido como um corpo natural, resultado dos fatores e processos de formação, constituído de camadas paralelas à superfície, capaz de suportar e nutrir plantas.Esses fatores e processos de formação, conferem ao solo características e propriedades químicas e físicas próprias, de extrema importância no fornecimento de água e minerais para o desenvolvimento das plantas.
1 2 1