Brasil é hoje um dos países onde há maior liberdade religiosa em todo o Ocidente. Isso é uma herança que vem desde o descobrimento de nosso país, em 1500. Isto porque as conversões religiosas que ocorreram após a invasão portuguesa no Brasil sempre foram marcadas pela postura pacífica e de respeito às crenças pessoais dos diversos grupos étnicos e culturais, privilegiando a liberdade religiosa dos índios, escravos e imigrantes que chegavam ao país para aqui fixarem residência.
b) ( ) Somente após a Proclamação da República, em 1889, o catolicismo deixou de se constituir na religião oficial do Brasil. Desde aquele momento o Brasil tornou-se, então, um Estado neutro do ponto de vista religioso, abrindo espaço para a organização e livre expressão de outras tradições religiosas. Porém, pela grande pressão da mídia, o Brasil está novamente se iminência de se tornar um Estado Religioso, prestes a decretar o espiritismo kardecista como a nova religião oficial, contando nesta decisão com o apoio das alas mais liberais da Igreja Católica.
c) ( ) No período colonial do Brasil havia uma forte relação entre Igreja e Estado, sendo que o Estado interferia na nomeação de bispos, designação de padres a paróquias bem como na construção de templos e mosteiros, o que estava ligado ao chamado Direito de Padroado. Hoje, ao contrário, vivemos num Estado que se diz laico, ou seja, que não tem ingerência sobre as religiões do país, nem tampouco é determinado por elas em suas decisões políticas. Apesar disso, ainda é possível verificar pressões por parte de grupos religiosos na discussão de algumas leis, como por exemplo, o aborto e eutanásia.
d) ( ) Após o Concílio Vaticano II, a Igreja Católica procurou se reaproximar de seus seguidores, fazendo a chamada “opção pelos pobres”, adequando-se às necessidades do povo para evitar novas evasões de fiéis para as outras religiões emergentes. Destacaram-se, neste contexto católico, dois movimentos: a Teologia da Libertação e o movimento carismático.

1

Respostas

2014-05-28T21:37:03-03:00
A letra "D" pois se for observar bem a Teologia da libertação e o movimento carismático, destacaram-se sim, após o Concílio Vaticano II.