Respostas

2014-05-29T16:46:17-03:00
É complexa esta pergunta, tendo em vista que a reforma protestante tinha o cunho propriamente religioso, e não político. O Renascimento, período compreendido entre o final do século XV e início do século XVII, dando assim o fim do período medieval, trouxe mudanças na economia, da sociedade, na religião (neste período, ocorreu a reforma protestante), na política e na cultura. Neste período surgiu a figura do burguês (comerciante) valorizando assim o mercantilismo. A igreja devido a uma herança do pensamento feudal, tinha poder na política, sem falar no grande acúmulo de bens, isso limitava o poder dos monarcas. Com o advento da reforma protestante, que contestava a autoridade do Papa, e com isso da igreja, muitos monarcas viram a oportunidade de se "libertarem" desta influência eclesiástica e poderem governar com mais autonomia, um exemplo disso foi Henrique VIII, da Inglaterra, que mesmo tendo sido contra as 95 teses de Lutero, promoveu uma reforma inglesa, criando a igreja anglicana, com o intuito de promover suas necessidades políticas. Outros monarcas adotaram o protestantismo ou adotaram o livre culto, com o mesmo objetivo, dar vazão aos ideais renascentistas para terem autonomia administrativa e econômica, já que a igreja católica era contra ao mercantilismo, embora vivesse de maneira paradoxa ao que pregava.   
1 5 1