Respostas

2014-06-06T00:35:30-03:00
Para Santo Agostinho a fé está a serviço da razão. A fé não é um "movimento irracional" da alma, isto é, quando cremos em algo é necessário que este algo tenha um sentido que a razão possa buscar o entendimento. Para esclarecer isto, ele utiliza uma passagem do profeta Isaías: "se não crerdes, não entendereis". É necessário, então, crer primeiro, para depois entender? Santo Agostinho diz que, se Deus nos criou com uma alma racional, não seria lógica deixar de lado, no que diz respeito ao conhecimento, aquilo que nos faz exatamente diferentes dos outros animais. A nossa razão é limitada pela temporalidade, ou seja, as nossas categorias do pensamento, para podermos entender o inteligível, como é o caso de Deus, necessitam transcender o próprio mundo físico. É neste sentido que a fé pode auxiliar a nossa reflexão, ela é o motor propulsor que irá fazer com que o intelecto, desconhecendo aquilo que se busca conhecer, persevere na procura do conhecimento, mas persevere amorosamente. Este é um ponto importante da Teoria do Conhecimento agostiniana: somente conhecemos plenamente quando amamos, em contrapartida, para amarmos precisamos conhecer. A fé proporciona o conhecimento amoroso da verdade, ela ilumina o caminho que a razão irá trilhar. Nesse caminho, na busca do conhecimento, a tarefa da reflexão e contemplação da verdade cabe somente a razão, mas é a fé que motiva o seu caminhar, para que o homem possa entender aquilo que, por ora, somente crê.