Outro grande pensador cristão foi São Tomás de Aquino. Ele, diferente de Agostinho, valorizava o "livre arbítrio", a escolha humana. Aquino considerava que a racionalidade do homem poderia comprovar as leis que Deus estabeleceu na Terra. Desta forma, podemos considerar:

Aquino considerava que a criação divina de ao homem o poder da escolha pela racionalidade, pelo entendimento. Desta forma, o homem era senhor de seu próprio destino.

O absoluto de Deus é como uma escrita imutável. Apesar de sua valorização da racionalidade, assim como Agostinho, Aquino nega a capacidade do ser humano de fazer escolhas.

Diferente de Agostinho, e com uma postura mais conservadora, Aquino se mantém crente da ordem social de Deus sobre os homens. Para ele, é o Criador que estabelece o seu valor na terra.

Desta forma, a existência de uma nobreza feudal e de um Clero, era uma interferência de Deus sobre os homens. A sociedade reproduzia aquilo que foi determinado pelas forças divinas.

1

Respostas

2013-07-11T11:28:52-03:00
Primeira opção correta, pois ele acreditava que o homem tem a capacidade de tomar sus proprias decisões.