Respostas

2014-07-29T15:58:58-03:00
A imigração na Itália não se restringe a estrangeiros e extracomunitários. Nos últimos anos, o fenômeno da imigração interna foi retomado, com italianos que se transferem do Sul para o Norte do país. Isso é o que revela um estudo realizado pelo Instituto de pesquisa sobre população e políticas sociais (Irpps) do  Consiglio Nazionale della Ricerche, em Roma.Segundo a pesquisa, a partir dos anos 90, a população do Sul, com exclusão da Puglia, diminuiu 5%. A maior parte é de jovens, principalmente mulheres com alto nível de instrução, que mudam o domicílio para o Norte em busca de um curso de mestrado, a fim de conquistar uma melhor inserção no mercado de trabalho.A razão da imigração interna está relacionada à concentração de oportunidades de trabalho na região Norte da Itália, enquanto no Sul a desocupação é superior a 15% da população, nível superior à média européia.De acordo com os dados levantados pelo o estudo, dos jovens que migram para o Norte, muitos se tornam empregados em atividades de baixo nível, sendo obrigados a se submeter a uma renda  insuficiente, em vista de do alto custo de vida, principalmente de alojamento. 
2014-07-29T16:08:29-03:00
As profundas desigualdades no desenvolvimento entre os países, assim como no interior destes, provocam contínuos fluxos de seres humanos das zonas mais pobres  para aquelas onde as condições de vida são melhores. Estas disparidades de desenvolvimento, ao contrário do que seria de esperar, não têm diminuído a nível  mundial, mas aumentado. O que se reflecte no crescente número de imigrantes clandestinos nos países mais ricos. Este drama é particularmente sentido, na União Europeia.