Respostas

2013-08-11T15:38:16-03:00
República da Espada (1889-1894)

Marechal Deodoro da Fonseca (1889-1890)

- Grande naturalização
- Separação do Estado e da Igreja
- Regulamentação do casamento civil
- Reforma do sistema bancário
- Política do encilhamento (por Rui Barbosa)
- Constituição de 1891(voto para maiores de 21 anos, mulheres e analfabetos).
- Decreta estado de sitio e fecha o congresso
- Contra-almirante Custódio de Melo ameaçou bombardear o Rio de Janeiro
- Renuncia

Marechal Floriano Peixoto (1891-1894)

- Dissolveu o Congresso Nacional
- Ilegalmente substitui todos os presidentes estaduais que apoiavam Deodoro
- Tabelamento de gêneros alimentícios
- Não provocou novas eleições conforme a constituição
- Revolução federalista no RS (castilhistas x maragatos)
Federalistas(maragatos) foram derrotados, pois Floriano apoiava os “castilhistas” de Júlios de Castilhos.
- Revolta da armada (nova ameaça de Custodio de Melo, mas desta vez sem sucesso).

conclusão:Com a proclamação da República, em 1889, inaugurou-se um novo período na história política do Brasil: o poder político passou a ser controlado pelas oligarquias rurais, principalmente as oligarquias cafeeiras. Entretanto, o controle político exercido pelas oligarquias não aconteceu logo em seguida à proclamação da República – os dois primeiros governos (1889-1894) corresponderam à chamada República da Espada, ou seja, o Brasil esteve sob o comando do exército. Marechal Deodoro da Fonseca liderou o país durante o Governo Provisório (1889-1891). Após a saída de Deodoro, o Marechal Floriano Peixoto esteve à frente do governo brasileiro até 1894.

No ano de 1894, os grupos oligárquicos, principalmente a oligarquia cafeeira paulista, estavam articulando para assumir o poder e controlar a República. Os paulistas apoiaram Floriano Peixoto. Dessa aliança surgiu o candidato eleito nas eleições de março de 1894, Prudente de Morais, filiado ao Partido Republicano Paulista (PRP). A partir de então, o poder político brasileiro ficou restrito às oligarquias agrárias paulista e mineira, de 1894 a 1930, período conhecido como República Oligárquica. Assim, o domínio político presidencial durante esse intervalo de tempo prevaleceu entre São Paulo e Minas Gerais, efetivando a política do café-com-leite.