Respostas

2013-08-12T20:56:52-03:00
O principal desafio ético no tocante à obtenção das células-troncoembrionárias para uso terapêutico cinge-se à origem das mesmas. Não obstante hajacomprovação de que as células-tronco do adulto também são capazes de se diferenciar, aspesquisas nessa área nos conduzem a selecionar, preferencialmente, células provenientesde pré-embriões (blastocistos) com idade entre 5 a 7 dias de desenvolvimento.Um dos conflitos éticos para a escolha de pré-embriões na obtenção decélulas totipotentes consiste justamente em selecionar a origem dos mesmos. De onde obtêlos?De material procedente de abortos? De pré-embriões criopreservados? O estatuto doembrião é o mesmo, seja no útero, seja in-vitro? Qualquer que seja a fonte, inicia-se semprea discussão ética sobre o estatuto moral do embrião. Indaga-se: qual o grau de respeito quese deve ter para com o mesmo? Há quem julgue que o embrião é defensável por seconstituir em um ser geneticamente único e irreprodutível, pertencente a espécie homosapiens. Constitui-se em um novo genoma, diferente do material genético que lhe foiherdado. Também é dotado de potencialidade de vida em constante desenvolvimento,capaz, portanto, de atingir o estágio somático e cognitivo de uma pessoa em sua plenitude.