Ajuda gente

Agora você lerá um soneto de Sá de Miranda escrito sob a influencia direta dos principios do Classicismo renascentista. Um de seus pontos notáveis é a construção da imagem da mulher amada e da atitude do eu lírico diante dela.

Quando Eu, Senhora, em Vós os Olhos PonhoQuando eu, senhora, em vós os olhos ponho,
e vejo o que não vi nunca, nem cri
que houvesse cá, recolhe-se a alma a si
e vou tresvaliando, como em sonho.

Isto passado, quando me desponho,
e me quero afirmar se foi assi,
pasmado e duvidoso do que vi,
m'espanto às vezes, outras m'avergonho.

Que, tornando ante vós, senhora, tal,
Quando m'era mister tant' outr' ajuda,
de que me valerei, se alma não val?

Esperando por ela que me acuda,
e não me acode, e está cuidando em al,
afronta o coração, a língua é muda.

Sá de Miranda, in 'Antologia Poética'

1. A divisão em estrofes corresponde a momentos distintos do poema. Aponte a ideia central de cada quarteto.

2. No primeiro tercetos, o eu lírico busca na "alma" um auxilio, e não obtém; no segundo, revela o resultado de sua busca infrutífera: o silêncio. O pronome ela faz a articulação entre um terceto e outro. A que termo se refere esse pronome?

3. No incio do soneto, vemos a mistura entre a realidade e o devaneio. Qual é o verso em que se instaura essa junção entre o real e o sonho? Justifique.

4. A ideia da incapacidade de dialogar com a amada é bastante característica da língua portuguesa desde tempos do Trovadorismo. No caso especifico desse soneto, "a língua é muda" quando o eu lírico se defronta com sua senhora. Que significado essa expressão sugere nesse contexto?

Gente prfv me ajudem!!!


1

Respostas

2014-08-23T21:48:52-03:00
1 = sim.
2 = Se refere ao que o eu lirico esta sentindo
3 = e vejo o que não vi nunca, nem cri 
que houvesse cá, recolhe-se a alma a si.
4 = sugere que ele esta discutindo com o proprio coração
4 2 4