Respostas

2014-08-28T23:06:47-03:00
Mpacto ambiental deve ser entendido como o efeito significativo no meio. Trata-se de desequilíbrio provocado por um choque, um "trauma ecológico", resultante da ação do homem sobre o ambiente. No entanto, pode ser resultado de acidentes naturais: a explosão de um vulcão, o choque de um meteoro, um raio etc. Mas devemos dar cada vez mais atenção aos impactos causados pela ação do homem. Mas quem é esse homem genérico, agente vago que muitas vezes é responsabilizado por tudo? Quando dizemos que o homem causa os desequilíbrios, obviamente estamos falando do sistema produtivo construído pela humanidade ao longo de sua história. Estamos falando particularmente do capitalismo.Podemos diferenciar os impactos ambientais em escala local, regional e global. Podemos também separá-los naqueles ocorridos em um ecossistema natural, em um ecossistema agrícola ou em um sistema urbano, embora um impacto, à primeira vista ocorrido em escala local, possa ter também consequências em escala global. Por exemplo, a devastação de florestas tropicais por queimadas para a introdução de pastagens pode provocar desequilíbrios nesse ecossistema natural: extinção de espécies animais e vegetais, empobrecimento do solo, assoreamento dos rios, menor índice pluviométrico, etc., mas a emissão de gás carbônico como resultado da combustão das árvores vai colaborar para o aumento da concentração desse gás na atmosfera, agravando o "efeito estufa". Assim, os impactos localizados, ao se somarem, acabam tendo um efeito também em escala global. Vejamos, a seguir, os principais impactos antrópicos.Principais impactos ambientais ligados ao soloErosão na zona urbanaA erosão corresponde a uma parte do ciclo natural das paisagens e, em alguns casos, também há desmoronamento causado pela interação dos elementos da natureza. Contudo, com o aumento exponencial da população, principalmente o ocorrido entre as décadas de 60 e 80 (Brasil), e com a dinâmica de migração, constatou-se uma concentração populacional urbana muito além do que a infra-estrutura das cidades, sobretudo das capitais, pôde suportar. Uma das principais consequências são as moradias em locais inadequados, como encostas de morros. Para que haja a então expansão urbana – desordenada – vastas áreas de encostas são desmatadas. Estando o solo descoberto, a precipitação (chuvas) incide diretamente neste, removendo o material superficial e infiltrando subsuperficialmente, o que retira também os compostos de consistência (argila, por exemplo) e, assim, desestrutura-o e causa deslizamentos.
A erosão urbana é um dos principais problemas ambientais que afetam as cidades. Ela assume formas assustadoras, destruindo a infra-estrutura (ruas, guias, sarjetas, redes de água e esgoto, etc.), causando assoreamento nos reservatórios e leito dos rios, e agravando mais as enchentes. A ocupação intensa dos terrenos próximos às erosões multiplica os riscos de acidentes. Além disso, geralmente as grandes erosões (denominadas voçorocas) se tornam áreas de despejo de lixo, transformando em focos de doenças.Agropecuária e erosão No âmbito rural, a erosão é causada, principalmente, pelo inadequado manejo agrícola. Muitos trabalhadores rurais utilizam técnicas arcaicas, como as queimadas da agricultura itinerante, que empobrecem o solo com a carbonização excessiva e induzida. Outros usam, amplamente, adubos químicos; estes, por sua vez, causam a expansão celular (as membranas ficam mais finas) dos vegetais cultivados e com isso aumentam muito o seu teor de água, deixando o ambiente suscetível a pragas.