SONETO DE CARNAVAL

Distante o meu amor, se me afigura
O amor como um patético tormento
Pensar nele é morrer de desventura
Não pensar é matar meu pensamento.

Seu mais doce desejo se amargura
Todo o instante perdido é um
sofrimento
Cada beijo lembrado uma tortura
Um ciúme do próprio ciumento.

E vivemos partindo, ela de mim
E eu dela, enquanto breves vão-se os
anos
Para a grande partida que há no fim

De toda a vida e todo o amor humanos:
Mas tranqüila ela sabe, e eu sei
tranqüilo
Que se um fica o outro parte a redimi- lo.
Oxford, carnaval de 1939 Vinícius de Moraes.

Atividade

1- a) No soneto o eu lírico fala de um amor que o deixa em conflito constante. Explique por quê?

b) Na segunda estrofe, o eu lírico desenvolve as características desse amor de carnaval. Como ele reage sob o efeito do amor?

c) De acordo com o primeiro terceto, por que o eu lírico se preocupa tanto com a passagem do tempo?

1

Respostas

2014-08-31T08:10:53-03:00
1- Se refere a uma pessoa que todos os anos vem e volta, deixando o coração do eu lírico atormentado.

2- Por meio da tortura, do sofrimento, da amargura e do ciúme

3- porque a cada ano eles se separam um do outro... ate chegar o fim desse amor para sempre