O jornal O Globo de hoje publicou esta foto de Evo Morales, presidente da Bolívia. Na edição impressa consta a seguinte legenda: Índio americanizado: Morales toma coca-cola durante manifestação. Que primor, não é mesmo? Como se consegue tanto com tão pouco! Neste breve texto estão presentes concepções sobre o que é ser índio, o que é ser americanizado, o que é correto ou não para um índio fazer… Agora transformado em inimigo número 1 da nação, Evo Morales é atacado na sua característica mais genuína e inconteste: a ascendência indígena. Afinal, um verdadeiro índio não deveria tomar coca-cola, não é mesmo? Aliás, não deveria mesmo era ser presidente, nénão?

Você acha que eu estou sendo radical? Talvez. Mas tente imaginar qualquer outro presidente com semelhante legenda, algo como, por exemplo: ”Nordestino americanizado: Lula toma coca-cola em passeata”. Estranho, pra dizer o mínimo.

Bom exemplo de que aquela revista semanal é o menor dos nossos problemas, porque lá a manipulação é grosseira; portanto, evidente. Mensagens como essa, quase sub-reptícias, numa simples legenda, ajudam a construir imagens distorcidas e preconceituosas.

Helê PS: Ao baixar a foto, de Michel Filho, do site do jornal, li a legenda preparada para a versão on line “O presidente boliviano, um ex-líder dos plantadores de coca e crítico ferrenho do ”imperialismo americano”, bebe Coca-Cola em manifestação”. Que diferença, não? A referência étnica sumiu por completo, e o texto tenta esclarecer a incongruência no ato do presidente. Resta agora desvendar as razões dessa longa distância entre um leitor e outro, por que tanta atenção com um e tamanho desleixo com outro. Onde esta

o relato e o fato apontados pela autora do blog Duas Fridas na legenda: Índio americanizado: Morales toma coca-cola durante manifestação.

1

Respostas

2013-08-19T13:30:43-03:00
A questão é um pouco mais complexa. O fato é que o Presidente  boliviano já manifestou seu intento de tornar seu país socialista. A Coca Cola, um símbolo do capitalismo americano, será expulsa da Bolívia até o final do ano. Tomar uma "coquinha" durante a manifestação, é, no mínimo, contraditório.