Respostas

2013-08-22T20:55:18-03:00
A Grécia Antiga localizava-se na bacia do Mar Egeu, abrangendo o território europeu ao sul da Península Balcânica, as ilhas dos mares Egeu e Jônio e a costa ocidental da Ásia Menor. Daí se espalhou pelas costas dos mares Negro e Mediterrâneo, atingindo o sul da Itália e da França e a costa da Líbia no norte da África, sendo o mar Mediterrâneo sua principal via de comunicação. A civilização grega ou helênica começou a existir por volta de 1200 a 1100 a.C., com a chegada dos dórios ao sul da Península Balcânica, conquistando os aqueus que aí habitavam. Os conquistadores dóricos da Lacônia (espartanos) e os jônicos da Ática (atenienses) disputaram a primazia política do mundo antigo. As lutas agrárias estavam ligadas à sociedade clássica, a luta da plebe contra os patrícios e a nobreza, onde a Grécia antiga foi cenário desses movimentos. Inicialmente, havia uma organização comunitária, contudo, com o desenvolvimento da agricultura e da pecuária, também com a expansão da propriedade privada e das cidades, essa organização mudou. No século VI a.C.,  a sociedade estava dividida em classes. Três fatores contribuíram muito para a alteração do Estado primitivo da Grécia, a saber: a guerra, o comércio e a navegação. Na Jônia (região formada pelas povoações gregas das costas do Mar Negro, como: Mileto, Éfeso e Samos) possuía um comércio importante com produtos elaborados (armas, vasilhas de argila) e agrícolas (vinho, azeite), além da comercialização de escravos que eram trazidos de países distantes. Devido ao desenvolvimento do comércio, a Grécia teve maior participação na colonização posterior. As costas do Mar Negro eram ricas em cereais e gado, e suas águas, em peixes. A oeste do Mediterrâneo, o sul da Itália e a terra fértil da Sicília eram polos de atração para os gregos. Nos séculos VII e VIII a.C., no sul da Itália e na Sicília fundaram-se muitas colônias gregas, como Nápoles, Tarento e outras. O século V iniciava-se com aparentes mudanças, surgimento de novos antagonismos econômicos. Ocorrência de reclamações contra a opressão dos ricos notificando, assim, uma injustiça crescente. Há o término do escambo com o aparecimento da moeda. Com as guerras vieram novos hábitos e novas riquezas. Então, ao final do século VI, a Grécia estava a caminho do capitalismo. A insatisfação social se agrava com o tempo e, em 640, em Megara, as massas espoliadas lutavam contra os proprietários e eliminavam seus rebanhos. Em Esparta reinava uma desigualdade extraordinária. Ao Estado cabia a responsabilidade de uma multidão de pessoas pobres, enquanto a riqueza estava concentrada com poucas famílias, 
1 5 1