Respostas

2013-03-18T11:18:28-03:00

Com o desenvolvimento da msm , a interação de pessoas , culturas, pensamentos e manifestos tornonaram-se mais proxima e principalmente assecíel ,pois antes de tal processo ,para adiquirir um determidado conhecimento msm que singélo com , pratos culinário ou msm costumes festivos era necessário livros ou contatos pessoais que na maioria das vezes naum era possível sua realização.Com a evolução das mídas e o espaço criado pela internet o tráfico e relaçõs do globo ficou mais intenso e prático.

 

OBS: esse processo também gera muitos problemas ,cuidado com explos que ultilizar  com assuntos de termos econômicos e  religiosos e com a veracidade da informação. pois a globalização muitas vez interfere negativamente nisso.

2 5 2
2013-03-18T16:11:02-03:00

há cada vez mais gente que acredita nos benefícios da globalização. É como se estivéssemos na orla duma rampa escorregadia e preferíssemos deixar-nos escorregar a agarrarmo-nos, por ser mais fácil desistir que combater a fatalidade da queda; por isso, começamos a aceitar a inevitabilidade da globalização e a olhar para os seus efeitos positivos com complacência ou aprovação, rendidos perante a sua inelutabilidade – como se nos consolássemos com a ideia de que, afinal, a queda não é assim tão brusca… Sou totalmente avesso a esta forma de pensar. Odeio o conformismo e os factos consumados, e não é por causa da força de um determinado fenómeno que me vou abster de combatê-lo e denunciá-lo. Mesmo que as minhas causas sejam consideradas perdidas à partida.
A verdade é que os efeitos positivos da globalização não beneficiam senão um punhado de gente, que são os sujeitos activos da globalização: os global players, os especuladores. Temos, decerto, produtos mais baratos graças à «deslocalização» da produção – mas há um outro preço a pagar, que me parece excessivamente elevado. Pensemos nos desempregados que os processos de «deslocalização» geram, e que têm tanta expressão em Portugal; pensemos, também, na asfixia das empresas que não têm meios para «deslocalizar» a produção: como é que podem competir com outras que usam mão-de-obra chinesa ou vietnamita, onde os custos salariais são reduzidos na proporção de 10:1? Não é bom de ver que os beneficiários são os detentores do capital das empresas mais poderosas?
Então que traz a globalização de bom? NADA! Não existe NADA de positivo num processo que visa, na sua essência, a maximização do lucro dos accionistas de empresas. A globalização está a conduzir a um processo de concentração, por via da perda de competitividade de uma miríade de empresas que não podem jogar o mesmo jogo que os grandes grupos económicos. O resultado disto é o encerramento ou a aquisição daquelas empresas, com o consequente crescimento do desemprego, da inflação e dos custos sociais do Estado. O que tem isto de bom para a maioria da população? De novo, a resposta é – NADA!
A globalização nasceu do consumismo, que, por seu turno, nasceu da necessidade de escoar a produção criando novos produtos e necessidades. Para que este escoamento seja viável (e lucrativo), tornou-se necessário reduzir os custos de produção, o que foi conseguido explorando mão-de-obra barata. A produção voltou-se para países onde os custos com a mão-de-obra são irrisórios, à custa dos direitos sociais dos trabalhadores e, por vezes, do recurso ao trabalho infantil. E isto não me parece ser um benefício para a humanidade…

2 1 2